As Globelezas de Todos os Anos

Todo fim de ano tem na TV especial de Xuxa e Roberto Carlos. Todo começo de ano tem festival de verão e todo Carnaval tem Globeleza. A figura feminina propaganda da Rede Globo para a sua temporada de escolas de samba no Rio de São Paulo é tão conhecida e famosa ao longo dos anos que chega a ser esperada. O posto já foi ocupada por algumas figuras bem diferenciadas. Relembre a seguir.

Valéria Valenssa

A primeira vez que surgiu uma mulata Globeleza foi em 1992, mas só em 1993 ela ganhou um nome, um corpo e estilo próprio, tornando-se famosa. Foi a Valéria Valenssa, conhecida por seu corpo escultural, sem plásticas e coberta apenas por pequenos triângulos nas partes íntimas. Mesmo sendo anos 90, os efeitos especiais não deixavam nada demais aparecer, por isso ela ganhou a simpatia da galera.

Valéria Valenssa teve tantas fases que até parecem diversas mulheres. Em 94 ela se cobriu de paetês, na moda naquele ano. Já em 95, quando a Globo completou 30 anos no ar, ela foi mais computadorizada com efeitos em neon. Em 1996 Valéria aparecia na televisão apareceu como rainha de bateria, sambando em cima da logo da Globo.

Os primeiros anos da Globeleza foram simplesmente divinos. Não havia tanto Photoshop em edição de imagem, mostrando os belos seios firmes da morena com cabelos crespos e volumosos, puro charme. Em 1996, mais uma vez com seios de fora apenas, seu corpo aparece com apenas algumas tiras pintadas nas partes principais.

Na vinheta de 1999, a sambista que não é nem atriz e bem modelo pode se considerar mais sensual que nunca. Com seios totalmente nus, aparece com fitas ao corpo mudando de cor a medida que sua dança evolui. A mudança no visual mais drástica veio em 2000, quando usou um aplique de cabelos lisos nos cabelos e sua cor mulata a fez se transformar em um uma índia, uma referência aos 500 anos de descobrimento do país.

Com a virada do século, em 2001, Valéria Valenssa ganhou toques futuristas com fitas metalizadas. A partir de então, a edição de imagem ganhou às telas e diversos efeitos especiais surgiram em tela e deixam a mulher com samba no pé bastante computadorizada, recebendo algumas críticas do público.

Em 2003, Valéria despediu-se do posto de Globeleza oficial. Uma linda homenagem foi feita à morena, em um comercial mostrando todos os seus anos de samba no pé. Ao final, seu barrigão de 8 meses ia à mostra e encerravam a carreira de Valéria Valenssa no posto da morena com mais samba no pé do Brasil. Mesmo magra, ela ainda tinha um corpo escultural. Hoje a mulata é evangélica e dedica-se a cuidar dos filhos.

A globeleza 3D

Talvez por admirar a carreira da atriz ou ainda ousar mais, a Globo resolveu em 2004 investir em seus efeitos especiais e não chamar mais ninguém para ocupar o posto. A emissora criou uma Globeleza 3D, com efeitos especiais mas totalmente inspirada em sua musa dos últimos anos. A boneca parece tanto com a original que muita gente achou a Valéria Valenssa diferente, mas achava que ela ainda estava no posto.

Giane Carvalho 

Em 2005, com as manias de concursos famosos no Domingão do Faustão, a Globo buscou a ajuda do público e jurados para escolher a nova Globeleza. O concurso fez bastante sucesso, assim como os que escolheram a nova loira do Tchan e Morena para o grupo de pagode É o Tchan. Giane Carvalho foi a eleita e filmou com a Valéria por alguns segundos na passagem do posto.

Morena e também com um corpo escultural, Giane Carvalho apareceu com detalhes de roupa computadorizados e seios à mostra, bem semelhante às primeiras versões anos 2000 da Valéria.

Aline Prado

Em uma seleção interna e mais discreta, Aline Prado assumo o lugar da Giane, que não curtiu muito ser Globeleza e deixou seu posto. Pela primeira em 2006 a Globoleza usou uma fantasia e não tirinhas e pinturas corporais, criando um novo estilo para a musa da propaganda do Carnaval da Globo.

Aline ficou ainda em 2007, com várias Alines no palco em um efeito especial com espelhos para multiplicar os passos da dançarina. Nada de seios à mostra, mais uma fantasia sensual, mas sem tanta escultura corporal como era antes.

Aline ainda ficou em 2008, mas deixou um pouco a desejar naquele ano. Com os fios lisos em um corte Chanel com franja, vestiu os símbolos da Rede Globo ao longo do corpo, cobrindo as partes apenas censuráveis. O corpo da mulata, contudo, ganhou diversos elogios.

Em 2009 a Rede Globo relembrou suas pinturas no corpo, mas em uma versão tipo moda Color Blocking, com cores e brilhos em neon e um arranjo de cabeça levemente exagero. Já com cabelos longos, Aine exibia um rabo de cavalo para deixar à mostra sua tiara brilhosa.

Em 2010 Aline recebeu uma pintura para ser depois retocada nos computadores, um verdadeiro charme e bem diferente. cabelo preso e lido e bolas brilhosas criaram efeitos especiais bem futuristas em tela nas vinhetas da emissora de TV mais famosa do Brasil na cobertura do carnaval carioca.

Já em 2011, Aline Prado volta a pintar o corpo de forma simples, exibindo seios firmes e cobrindo apenas o que interessa para a censura. A inspiração dos desenhos tribais coloridos foi o sol, a cultura dos índios e efeitos visuais mais marcantes buscados pela emissora com tantas cores, a cara do carnaval carioca.

Em 2012, a Globo sentiu uma saudade de Valéria Valenssa e vestiu Aline Prado com a mesma fantasia da primeira aparição da mulata em 1994. Não dá para confundir, pois a pele de valéria é mais escura e seus fios volumosos deixaram saudades no público.

Aline Prado continua no posto de Globeleza no carnaval 2014. Está visivelmente mais cheinha, cabelos mais lisos e volta com as pinturas corporais para mostrar o quanto seu corpo é trabalhado. O resultado anda agradando a quem já assistiu a vinheta no ar. Até o momento, Aline deve aparecer também como Globeleza 2015.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>