Martin Scorsese

Para os americanos, o nome de Martin Scorsese é fonte sempre de grandes discussões, sejam pelos seus defensores que clamam pela justiça à uma das mentes mais brilhantes e de maior cunho de sucesso da história de seu ramo, o cinema, seja pela admiração que possuem pela quantidade e qualidade de seus trabalhos, sejam eles recentes ou não, e até mesmo por quem lhe é grato por distribuir seu talento para que outros talentos, os dos atores possam desfrutar de histórias recheadas de um enredo gostoso, cheio de opções e atrativos, mas que infelizmente nunca foi agraciado nos seus 68 anos de vida com a maior honraria de sua profissão: o Oscar.

Martin Scorsese

A Vida

O início da vida de Martin Scorsese é marcada pela sua devoção religiosa, registrada em muitas de suas obras e o desejo de ser padre, mas também pela sua rápida mudança de rumos e atração quase que fatal pelo cinema, o que aconteceu muito rápido, num documentário que Martin Scorsese gravou de quase quatro horas, e que para muitos é o filme da vida por ele próprio.
Depois da atração repentina pela sétima arte, Scorsese estudou cinema na Universidade de Nova Iorque, onde produziu ali uma série de curtas que já demonstravam ali todo seu potencial, como em “The big shave”. Em 1972 conseguiria com 30 anos demonstrar ao mundo o seu eminente talento com o filme “Quem está batendo à minha porta”, película que o fez se tornar conhecido dos grandes mestres daquela década, como George Lucas, Francis Ford Coppola e uma pessoa que viria a ser muito importante para a abertura definitiva das portas para Scorsese: Brian di Palma, quem lhe apresentou seu hoje grande amigo pessoal e ator participante de um grande número de seus filmes: Robert de Niro.

Amigo

O Céu a um Toque

Depois disso, começou uma série de filmagens onde ou era recomendado para realizar o filme ou até mesmo era intimado por diretores e inclusive atores para que trabalhasse em suas filmagens, atingindo o ápice em 1976, com o filme Taxi Driver, onde Robert de Niro e Jodie Foster têm atuações impecáveis e, o sucesso e repercussão do violento mais real retrato da vida dos subúrbios nova iorquinos e a violência presente neste cotidiano, fizeram com que em 1981 um jovem atentasse contra a vida do presidente americano Ronald Reagan, dizendo estar inspirado com a história do filme.
Com o sucesso alcançado por Taxi Driver, Scorsese se sentiu com foras para realizar seu primeiro filme em homenagem a sua cidade, lanando aí o musical New York, New York, que foi sua primeira derrota no mundo do cinema, se revelando então um grande fracasso de bilheteria, deixando este em um estado profundo de depressão nervosa, que chegou até mesmo a quase lhe custar a vida, diante da debilidade em que se encontrava nas filmagens de Raging Bull, uma de suas maiores obras.

Taxi Driver

A Fama de Perdedor

Depois de décadas realizando obras primas do cinema, sendo indicado para diversos prêmios Oscar e perdendo sempre nas indicações de grandes filmes, prêmio este que nunca conseguiu vencer em quase cinco décadas no cinema, Martin Scorsese hoje tem aparecido mais esporadicamente, com apresentações de filmes em 3 ou 2 anos, pois assumiu a presidência de uma organização não lucrativa, a Film Foundation, que se destina a preservação e captação de recursos para a difusão de filmes mudos.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Cinema

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *