Karl Marx

Nascido em 05/05/1818 na cidade de Trier, Karl Marx foi um dos maiores filósofos de todos os tempos. Veio a falecer em 14/03/1883 em Londres.

Biografia

Era o mais novo filho de uma de uma judaica família de classe média da época. Seu doutorado foi feito em Iena, em 1841, em Filosofia, defendendo uma tese sobre as divergências entre a filosofia da natureza de Epicuro e de Demócrito. Um ano mais tarde se tornou redator-chefe num jornal de Colônia, e lá, durante visita de Friedrich Engels ao local, o conheceu.

Depois de sua mudança para Paris, em 1844, trabalhou na publicação do 1º volume dos Anais Germânico-Franceses, divulgação principal dos hegelianos esquerdistas. Algum tempo passado, por desavenças ideológicas, acabou rompendo com os líderes do movimento, Ruge e Bruno Bauer.

Dentre os trabalhos primeiros de Marx, o mais importante de seus artigos fazia uma crítica da Filosofia do direito de Hegel, primeiro rascunho da explicação materialista da lógica hegeliana. Engels e Marx juntos escreveram a Sagra Família, em 1845, publicação que abordava contrariamente ao hegeliano Bruno Bauer e sua família.

Também foi comum livro A Ideologia alemã (1845-46), que em razão da repressão não foi publicada naquele período. A completa edição daquela obra seria apenas divulgada na década de 30.

Marx escreveu sozinho, em 1847, a Miséria da Filosofia, uma polêmica considerável contra o francês anarquista  Proudhon. Em 1847, o Manifesto Comunista, foi a obra derradeira comum de Engels e Marx. Tal obra se compõe de um resumo do histórico materialismo e convite à revolução.

Depois de se estabelecer em Bruxelas, passou a ser integrante de clandestinas organizações de exilados e operários. Já em 24/02/1848, Engels e Marx lançaram O Manifesto Comunista, esboço inicial da revolucionária teoria que, tempo depois, se chamaria marxista. De Luís Bonaparte, O 18 Brumário teve sua publicação feita em 1852, primeiro nos jornais e posteriormente em forma de livro, em 1869. A 1ª interpretação de um histórico acontecimento. Tal fato foi explorado como sendo o baque de Estado de Napoleão III.

Depois de sua ida para Londres, Marx fez parte de inúmeros estudos históricos e econômicos, sendo assíduo frequentador da sala de leituras do Museu Britânico. Para jornais norte-americanos escrevia artigos sobre a política exterior. Nesta fase sua situação econômica estava bastante difícil. Neste período recebeu ajuda de Engels, que morava em Manchester num situação financeira bastante diferenciada.

Publico em 1867 a primeira parte de sua principal obra, O Capital, sendo uma publicação basicamente econômica, consequência dos estudos realizados no Museu, versando sobre a teoria da mais-valia, do valor, da acumulação de dinheiro, dentre outros. Os volumes seguintes da obra tiveram sua edição feita por Engels, nos anos de 1885 e 1894. Por Karl Kautsky foram publicados outros textos, formando o volume IV.

A hipótese protegida por Karl Marx baseia-se na radical crítica ao capitalismo, na qual se sobressai a exploração do trabalhador que é executada pela burguesia. Sob essa visão, tinha aqueles que obtinham o capital de produção que através dele usavam a mais-valia, forma assim a burguesia ou classe exploradora; na outra ponta encontravam-se os assalariados que não tinham a propriedade, eram os proletariados.

Com esta composição, Marx achava que a Educação integrava a superestrutura controladora das classes dominantes. Não acreditava no currículo que ela concebia e na maneira como seria passado. Sai em defesa da educação industrial e técnica (tais concepções tiveram um posterior impacto educacional, principalmente no que concerne a respeito da educação tecnológica).

Karl Marx era defensor da educação gratuita e pública a todas as crianças. Na sua visão, esta era a solução para poder tirá-las do serviço nas fábricas. Ainda defendia que a educação era capaz de construir o homem em seus aspectos mentais, físicos, e técnicos, apresentando a visão do estudo, trabalho e lazer. A fundamental intenção precisaria lançar pessoas integralmente desenvolvidas por meio do serviço produtivo, ginástica e escolaridade.

Foram descobertos em 1932,  e editados os Manuscritos Econômico-Filosóficos, em Moscou, escritos em 1844 e deixados sem acabar. É o rascunho de um socialismo humanista, preocupado especialmente com a alienação humana; sobre a convergência ou não deste humanismo com o posterior marxismo, não está encerrada a discussão.

Ideias Marxistas

Karl Marx foi convidado a se retirar de grande parte dos países da Europa em razão de seu radicalismo. Sua aproximação com radicais alemães e franceses, no período conturbado de 1840, fez com que o mesmo erguesse a bandeira do comunismo e agredisse o princípio capitalista. O capitalismo se mostrava como o responsável principal pela falta de orientação humana. Ele protegia a ideia de que a categoria trabalhadora precisava se unir ao propósito de arruinar os capitalistas e acabar de vez com a classe de abusos do sistema que, era a grande responsável pelas tensões que apareciam cada vez mais ativadas pelas enormes diferenças sociais.

Este importante revolucionário, que participou também ativamente de clandestinas organizações com exilados operários, escreveu o Capital, com publicação feita em 1867, que versa principalmente sobre a economia. Sua obra aponta estudos sobre o amontoamento de capital, apresentando que o excedente trazido pelos trabalhadores sempre acaba nas mãos dos ricos, classe que cada vez se torna mais detentora do dinheiro à custa da exploração dos trabalhadores. Com a ajuda de Engels, Karl escreveu ainda o Manifesto Comunista, não poupando duras críticas ao sistema capitalista.

Este personagem notável da história morreu na Inglaterra, em Londres, em 14/03/1883, abandonando uma legião de seguidores de suas ideias. Um deles foi Lênin, e, na União Soviética, usou as opiniões marxistas para dar sustentação ao comunismo, que, através de seu comando, recebeu o nome de foi marxismo-leninismo. Entretanto, determinados marxistas não concordavam com certas vertentes escolhidas pelo comandante russo.

Até os dias atuais, as concepções marxistas ainda influenciam diversos cientistas e historiadores sociais que, ainda que aceitem ou não tais pensamentos do filósofo alemão, aceitam a ideia de que para haver compreensão uma sociedade precisa primeiramente entender sua maneira de produzir.

Karl Marx ainda é seguido por muitos pensadores contemporâneos, e, apesar de tempo passados, suas ideias jamais se perderão.

Karl Heinrich Marx foi um filósofo, sociólogo, historiador econômico, jornalista e revolucionário socialista alemão que desenvolveu a teoria sócio-política do marxismo. Suas ideias, desde então, desempenharam um papel significativo no desenvolvimento da ciência social e o movimento político socialista.

Publicou vários livros durante sua vida, sendo considerados os mais notáveis: O Manifesto Comunista (1848) e Capital (1867-1894), muitos dos quais foram co-escritos com o seu amigo, o companheiro revolucionário socialista alemão Friedrich Engels.

Nascido em uma família rica da classe média em Trier, na Prússia, Marx passou a estudar, na Universidade de Bonn e na Universidade de Berlim, onde tornou-se interessado nas ideias filosóficas do jovens hegelianos. Em 1836, ficou noivo de Jenny von Westphalen, e se casou com ela em 1843.

Após a conclusão de seus estudos, tornou-se jornalista em Colônia, escrevendo para um jornal radical, o Rheinische Zeitung, onde começou a usar os conceitos hegelianos de materialismo dialético para influenciar suas ideias sobre o socialismo.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Históricos

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *